segunda-feira, 13 de julho de 2009

Tanabata Matsuri - Festival das Estrelas


Local : Pça da Liberdade - repleta de bambus e mensagens penduradas

Liberdade toda enfeitada
Palco com músicas típicas,danças e taikos
motivos de reciclagem, tsurus, leques,etc -muito bonito!Todos os tanabatas pendurados no alto e cada um com modelo diferente. Abaixo delas, um mar de gente!! tanzakus sendo vendidos por cores - R$1,50 cada

as cores dos tanzakus
árvore de bambu repleta de mensagens

dizeres na mensagem
legumes e frutas típicas s e NÃO típicas vendidos fora das mercearias. Gosto de ver isso!

Perguntei para um japones que estava com o sorvete na mão se podia tirar a foto e se estava bom. Ele me disse que era "meio estranho"!
comidas típicas como temaki, guiozas enooormes(naõ gosto),yakissobas e tempuras

takoyaki(bolinho de polvo) - comprei na loja da rua Galvão Bueno 270 - tb não comprei na barraca da pça -demora 15 minutos e acho um trabalhão para ela vender por R$6,00 as seis unidades onde a capacidade da chapa dá para vender para apenas 8 pessoas.
loja onde comprei
dorayaki - doce feito na hora com recheio

recheio de azuki( doce de feijão tipo azuki) colocado e na parte de cima, já fechado

pedi recheio de creme - sempre como de azuki
O dono dessa barraca sempre está na feira da Aclimação no sábado e acho dela muuuito melhor que da Pça da Liberdade.
Massa crocante e recheio muito bom. Não comprei da barraca que sempre fica na praça pois acho massuda.
eu sendo típica japonesa, acabei comendo ACARAJÉ!! rsrsrsrsrs!

Fui parar na Liberdade por descuido no domingo, num horário que em sã consciência não iria, pois domingo na hora do almoço é um horário para paraquedista cair na Liberdade, pois é LOTADO. Costumo ir lá só depois das 17:00h. Aproveitei e registrei o festival que estava tendo. Obviamente, comi algumas coisas tb. Aproveitei e pendurei meu tanzaku no ramo de bambu que estava espalhado lindamente em toda região da Pça da Liberdade. Tinha lido no Blog da Elisa, residente no Japão sobre essa festividade e confira no seu blog a festividade lá.
Conta a lenda que há cerca de 4.000 anos, as estrelas VEGA(Orihime) e ALTAIR(kengyu) foram a fonte de inspiração para surgimento de uma estória na China. Uma certa princesa Orihime e o seu amado, o pastor Kengyu, assim conhecido pelos japoneses, ao se conhecerem dedicaram-se apenas às paixões, esquecendo-se completamente das sua obrigações diárias. Por este motivo, punidos pelos pais, foram transformados em duas estrelas e separados pela Via Láctea, mas foi permitido a ambos, um encontro anual, no sétimo dia do mês de Julho. Ansiosos por este dia, eles passaram a dedicar ao trabalho com mais afinco do que antes. E é nesse dia realmente que é possível ver as duas estrelas juntas.
Baseado nessa lenda, surgiu o Festival das Estrelas.

A festa foi introduzida no Japão há aproximadamente 1.300 anos com o nome de TANABATA MATSURI e a cidade de SENDAI promove esta, que é um das maiores e mais belas manifestações do folclore oriental e cuja réplica passou a ser realizada em SP, desde 1979.
Nesse festival, as pessoas costumam escrever em pequenos papeis (TANZAKU) de cores diferentes (amarelo=dinheiro; azul=proteção dos céus, branco=paz; rosa=amor; verde=esperança e vermelho=paixão) e pendurá-los em ramos de bambu (sassa dake). Eles representam as estrelas.
Segundo a crença, os pedidos feito aos deuses do fundo do coração, serão atendidos como forma de gratidão pela dádiva recebida.

Acho bonito essas lendas, tradições e fiz meu pedido. Percorri a região vendo as várias barracas vendendo OMAMORI (amuleto da sorte), comidas típicas e NÃO típicas e fazendo compras nas lojas.

14 comentários:

Gina disse...

Cláudia, gosto muito desses eventos típicos e, sempre que posso, participo aqui em Curitiba e outras cidades.
Estou preparando material para um post sobre a comunidade japonesa que vive aqui, assim como já fiz com a italiana e a ucraniana.
Sempre vou às festas japonesas, como o Imin Matsuri e gosto da comida japonesa, como o dorayaki, que aí tem um formato diferente, bem legal.
Percebi que você é como eu, narra tudo nos mínimos detalhes.
Boa semana!
Bjs.

Elisa no blog disse...

Claudia,
Que postagem linda e bem concebida. Parabéns!
Obrigada por ter colocado link do meu blog. Achei que a sua história de tanabata está até mais bem contada que a minha. Eu quis resumir a minha. Acho que nem precisa ir ler o meu. rsrs.
Mas fiquei contente, obrigada,
Elisa

sonia disse...

adoro dorayaki,e esse me pareceu bom demais,tenho a forma aqui em casa ,mas nunca dá certo...........menina ainda bem que vc foi,não tive conragem ,que preguiça depois do diluvio,hummmmmmmmmm
bom olhar agora tudo..........
tava tudo lindo demais ,adorei
so

Claudia Rumi disse...

Gina, até pouco tempo atras, nem dava valor a estas festas. Hoje, procuro saber pois acho bonito o significado.
Elisa, recebi essa história ao comprar o tanzaku(que nem sabia desse nome ate então)e coloquei fielmente no blog.O seu está descrito com suas próprias palavras e até mais divertido.Lembrei logo de vc qdo chegueui na Liberdade.
So, vc tem forma de tudo: taco, dorayaki, peixe,etc.rsrsrsrs
Eu precisava comprar horensso e perdi o horáro da feira e fui parar lá.Quase dei meia volta,mas qdo vi a Liba toda enfeitada, fui conferir.
bj
claudia

Miki disse...

Oi Clau,
por pouco a gente não se encontra por lá, fui mais de tardinha pra colocar o meu pedido e os de casa, como tava todo mundo de molho,eita gripe... muita Saude pra todos !!!
Esse dorayaki parecia muito Bom : )
Vou ver se acho uma receita das antigas da sogrinha e te passo, é muito boa e fácil de fazer.
bjs,
Miki

Claudia Rumi disse...

MIki, me arranja e pegamos a forma da Sonia e mandamos ver.
COm o tempo que fez semana passada era melhor pedir mmuita saúde mesmo, pois viche, qta chuva!
bj
Claudia

Katia Mine disse...

Ru, tambem quero takoyaki. so fico passando vontade aqui!
bjs

Michi disse...

Ru, adorei ler sobre a estoria do festival.
fiquei com uma vontade de comer takoyaki e dorayaki. Aqui nao tem nada disso.
bjs

Claudia Rumi disse...

GO, takoyaki bem feito é tudo de booom.
Miti, tem muita coisa que nem sabemos direito o significado e deixamos assim.Hoje procuro saber.
O problema que esqueço por isso, pus no blog.
bj
ru

Roseli Busko disse...

Olá Claúdia e Gina!
Gostei muito do seu blog, adorei as fotos da festa na Liberdade...., sou paulistana que morrou 14 anos no Paraná, na cidade de Arapongas, já tive a oportumidade de ir a festa da cerejeira em Apucarana, agora morando aqui no Rio de Janeiro a 9 anos, adoro doce com recheio de feijão, não sei se é assim que se escreve yaki mandju.

Parabéns!!! pelas fotos e pelo blog.

Abs
Roseli

Claudia Rumi disse...

Roseli, seja bem vinda!
esse recheio de feijão é o azuki e um dos docinhos que tem esse recheio´realmente é o yaki mandju.
Adooooro tb esse azuki. A cerejeira é bonita mesmo. Imagine no Japão como deve ser....E aí no Rio, tem colonia japonesa que organiza algo grande assim?? acho que não, né!? Um grande beijo,
Claudia

Xícara de Chá disse...

OLá meninas!
Adoro esse festival, estive lá quando meu filho fez 4 anos, faz dois anos isso. Era o dia do aniversário dele, e, chegando lá ele pensou que era pra ele a festa...Acabamos comprando também um bolo de festa em uma confeitaria da esquina e cantamos parabéns. Meu avô contava que quando o primeiro navio do Japáo chegou em Santos, estava havendo uma festa junina e os japoneses pensaram que a festa fosse uma recepção de bem-vindos! Parabéns por divulgarem as raízes da cultura dos nossos antepassados. Beijos,Mônica tezuka de Campinas.

Claudia Rumi disse...

AHAHAAHAH!Monica, que bom que vc retornou! Gostei da observação que vc escreveu! De qq maneira, tanto para seu filho,como para os japoneses, a maneira de ver uma festa é a mesma, não importa o motivo!um grande beijo,
claudia

Roseli Busko disse...

Olá Claudia! realmente é muito difícil ver japoneses aqui no Rio, tirando os turistas é claro.
Coloquei no blog a receita daqueles paezinhos de aipim que você gostou.
Um beijo e uma semana abençoada pra você!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails